War Tech Fighters – [Análise do Arena]

O que um Mecha faz de melhor?

Quem não gosta de controlar um Mecha e destruir tudo que está em volta, não é mesmo? Mas já repararam como o outro lado da moeda está em falta, como por exemplo, voar pelo espaço afora? Pois bem, War Tech Fighters tem a proposta de resgatar as origens, sem esquecer da destruição em massa.

  • Pela liberdade!

Publicado pela Blowfish Studios e desenvolvido pelo estúdio italiano Drakkar Dev, o enredo de War Tech Fighters mergulha na batalha espacial entre o Império de Zatros contra as colônias rebeldes de Hebos e Ares, essas que utilizam as armas mais poderosas já criadas, que podem garantir a liberdade das duas nações: as War Techs. Mas não se engane. O “pano de fundo” é interessante na teoria, mas durante o gameplay, o enredo torna-se praticamente irrelevante.

  • Voe para onde quiser

Quando o jogo realmente começa, todo o potencial do gameplay se confirma, pois ao pilotar os War Techs, podemos voar para todos os lados, com muita facilidade, seja em primeira ou em terceira pessoa.

Você pode escolher entre três classes de robôs, sendo que cada uma tem sua peculiaridade, assim como uma gama gigantesca de armas, e a cada missão completada, é possível ganhar XP para melhorar uma determinada peça. A cada aprimoramento, a sensação de ser invencível fica maior.

Hawk, Lynx e Rhino
  • Quantos inimigos você consegue destruir?

War Tech se consagra nas batalhas, especialmente devido a trava de mira, que funciona muito bem, além do movimento final, que faz com que as naves maiores possam ser finalizadas, causando um efeito de batalha corpo-a-corpo. Vale dizer que contra robôs maiores, a luta é praticamente um X1, no qual você deve defender no tempo certo e atacar precisamente com sua espada e escudo. Mais uma vez, podemos notar que a repetição dos movimentos faz com que uma batalha épica, torne-se repetitiva.

  • Muitas missões, poucos objetivos

Apesar de War Tech Fighters contar com um bom número de missões, elas se resumem em destruir todos os inimigos, fazer um resgate e conectar pontos específicos, deixando uma sensação de estar fazendo as mesmas missões, desde o início do jogo, até o final. O modo survival e poder voltar nas missões para aumentar sua pontuação, é um fator interessante, por proporcionar novos itens desbloqueados em seu arsenal.

  • Design digno de Mechas, cenários nem tanto assim

Se você vai fazer um game com robôs gigantes, o design deve ser prioridade no desenvolvimento. E nesse quesito, o estúdio acerta com primor. Cada parte foi feita com detalhes e a customização acompanha o design. É possível mudar determinada peça de cor, deixando o Mecha super estiloso. Mas no que o estúdio priorizou, não se pode dizer dos cenários e inimigos genéricos, assim como a trilha sonora, fazendo com que o gameplay frenético seja prejudicado.

  • Considerações finais

War Tech Fighters tem a proposta clara de um jogo que utiliza Mechas deve ter. Mas talvez devido a série de fatores, os pontos fortes são prejudicados, pois o game não teve o acabamento que merecia. Mesmo se tratando de um estúdio indie, a impressão que fica, é que o jogo foi entregue às pressas.

6.7
Bom

War Tech Fighters utiliza a premissa de robôs gigantes de uma forma diferenciada, sem perder a essência, mas peca em alguns aspectos, que poderiam ser o diferencial para um jogo mais fluido e divertido.

  • Enredo 6
  • Gráficos 7
  • Jogabilidade 7

Receba notificações de todas novidades sobre Xbox.

Você pode gostar também

Inicie a discussão na Comunidade Arena Xbox