Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint – [Análise do Arena]

Como caçar nossos Ex-companheiros Ghosts?

Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint é um shooter tático, desenvolvido pela Ubisoft Paris. Nele, temos o grande destaque para o vilão, Cole D. Walker, um ex-ghost, interpretado pelo ator Jon Bernthal (série o Justiceiro, da Netflix), que está construindo seu próprio exército. Confira nossas impressões do game.

  •  História

O jogo traz uma sequência direta ao game anterior, aonde alguns ghosts são enviados para investigar um evento suspeito em um cargueiro dos EUA, no arquipélago de Auroa. A ilha é o quartel-general da Skell Tech. Ao chegar lá, de cara, caímos em uma armadilha, aonde a maior parte dos soldados estão mortos.

Você jogara na pele de Nomad, um dos poucos sobreviventes da armadilha, que irá se juntar a resistência da ilha contra os Wolves, um grupo de mercenários liderados por Cole D. Walker.

Com diálogos sem sentidos e cutscenes sem emoção, a história do jogo se torna enjoativa. Mesmo com o uso do ator para criação de um vilão icônico, no final das contas, isso não acontece. A falta de emoção deixa o jogo um pouco forçado, e com a quantidade de coisas para fazer pelo mapa, não sobra muita paciência para assistir algumas das cenas.

A história ainda pode ser jogada de duas maneiras: um modo totalmente investigativo, aonde temos que seguir as pistas que encontramos; e um modo com indicadores, para facilitar a localização de objetivos. O papel da história, na minha visão, basicamente serviu para mostrar o porquê da gente estar ali, e o motivo de não podermos simplesmente pegar um avião e ir embora.

Gameplay

O jogo se tratá de um shooter tático em terceira pessoa, apesar de lembrar muito um loot shooter tem suas diferenças, ele ainda traz elementos de jogos de sobrevivência e RPG, com uma gameplay quase semelhante ao um dos últimos lançamentos da Ubisoft, o The Division 2.

Apresentando uma grande variedade de equipamentos, armas, veículos e habilidades o jogo de ta diversas maneiras para montar uma estrategia Stealth, que é a maneira mais divertida de jogar, mesmo não fracassando a missão, ao se descoberto por inimigos tirá toda a emoção que o jogo te oferece.

Apesar do Stealth ter a tendência de deixar o jogo repetitivo, isso vai depender da criatividade de cada jogador, pois você pode usar diferentes elementos para formar uma nova maneira de invadir um acampamento. O estilo de combate do jogo é o seu maior ponto positivo. Isso fez com que ele me “prendesse” por mais de 25 horas. Apesar do fracasso na história, o combate do jogo é o inverso disso: quanto mais elementos de combate você vai desbloqueando, mais motivador é combater os inimigos.

  • Um tiro, uma baixa

Essa é a principal característica que diferencia o jogo de um loot shooter para o shooter tático, e também deixa os elementos de RPG dentro do jogo sem sentido. Brakpoint tem uma divisão de nível pelo mapa, porém, se você acertar um tiro preciso na cabeça do soldado inimigo, independente da arma que esteja usando, ele vai morrer na mesma hora.

Outro fator que deixa o jogo ainda mais interessante, é a possibilidade de facilmente invadir um acampamento que está bem acima do nosso nível. O famoso ditado “a habilidade compensa a falta de itens bons”. E com a quantidade de inimigos em determinados locais do mapa, vai ser muito bom conseguir mandar eles pro saco com apenas um tiro.

  • Gigantesco mapa

Uma coisa que não podemos reclamar é do tamanho do mapa presente no jogo, com enormes áreas que vão de montanhas geladas, até florestas fechadas e lindos locais. O mapa apresenta uma grande quantidade de atividades, como locais para investigar, acampamentos dos Wolves e inimigos por toda parte.

Com uma boa quantidade de terrenos, a locomoção pelo mapa é um pouco complicada, dando mais realismo ao game. Facilmente, você sai rolando montanha abaixo. Na maior parte do jogo, principalmente na parte de montanhas, utilizei helicópteros para me locomover devido a dificuldade do cenário.

O mapa também irá ajudar muito num posicionamento correto em determinadas regiões, fazendo com que você consiga ter uma visualização total dos inimigos que pretende eliminar, que ainda conta com um sistema de alteração da hora do dia e clima.

  • Ghost War

Além do modo PVE, o jogo apresenta o Ghost War, um modo player vs player, com times de 4 contra 4. Com partidas rápidas, elas são totalmente estratégicas e irão exigir que os jogadores tenham um grande conhecimento das mecânicas do jogo, além de um certo nível de habilidade ao manusear a arma, pois aqui, também podemos eliminar o inimigo com apenas um tiro na cabeça.

  • Alguns problemas pelo jogo…

Infelizmente, o jogo saiu com uma série de bugs. Em alguns momentos, enfrentei diferentes erros pelo mapa. Alguns, você só da risada da situação, e outros, simplesmente desmotivam de continuar jogando.

Apesar de um grande poder gráfico, percebe-se que ainda irão precisar de algumas atualizações para podermos ter uma experiência sem bugs, que irão te desmotivar a continuá-lo.

  • Personalização 

Como já foi citado, Breakpoint tem uma grande quantidade de itens para personalizar o seu personagem, porém, aqui temos mais um ponto delicado. Esse é um daqueles jogos que quem estiver disposto a gastar um pouco mais, certamente vai receber mais vantagens.

  • Considerações finais

Levando em consideração toda a minha experiência durante 25 horas jogadas no Breakpoint, não posso afirmar que ele é um jogo bom, mas também não posso dizer que ele é um jogo ruim, pois ainda existem pontos bem positivos na sua jogabilidade.

Classificaria o Ghost Recon Breakpoint como um jogo mediano, que não irá agradar a todos. O jogo ainda tem muita coisa que precisa ser melhorada, porém, ele apresenta um grande potencial. Ainda dá pra gastar umas boas horas explorando conteúdos presentes do mapa, mesmo pagando apenas a edição Standard do jogo.

7.3

Estrategicamente divertido

Ghost Recon Breakpoint é um jogo de combate furtivo com mecânicas interessantes que irão te prender por algumas horas, apesar de alguns bugs irritantes. E pode decepcionar no multiplayer, com melhorias para quem estiver disposto a gastar seu dinheirinho.

  • Jogabilidade 8
  • Gráficos 9
  • História 5
Você pode gostar também