Tiny Tina’s Wonderlands – [Análise do Arena]

Role o dado e tente a sorte em Tiny Tina’s Wonderlands

Desenvolvido pela Gearbox Software e publicado pela 2K, Tiny Tina’s Wonderlands foi, inicialmente, uma DLC de Borderlands 2, chamada Tiny Tina’s Assault on Dragon Keep, porém, viram o potencial daquele conteúdo e, felizmente, recebemos um baita de um spin-off que se tornou sucessor daquela DLC.

Os jogos da série Borderlands costumam ter muitas DLCs e, já que uma deu origem a um jogo, deve ter algo de especial, não? Veremos!

Trailer oficial de revelação da gameplay de Tiny Tina’s Wonderlands

O verdadeiro RPG!

Cá estamos, sentados em uma mesa e jogando, adivinha, um RPG de mesa! O Bunkers & Badasses, ou melhor, Bunkers e Bambambãs, no maior estilo Dungeons & Dragons. Essa é a premissa, Tiny Tina, Valentine, Frette e você, sentados e preparados para imaginar uma grande aventura na qual Tina é a mestra que guiará a história.

Tiny Tina
A “grande pequena” Tina

O jogo segue essa linha mais medieval e, sinceramente, segue muito bem! Esqueça as tecnologias futuristas e sinta novamente o poder das magias em suas mãos e enfrente os inimigos mais ossudos, mágicos e fedorentos possíveis!

Em um RPG de mesa, o mestre guia a história e pode interferir de diversas formas, junte isso com a mente de Tiny Tina, uma adolescente de 13 anos psicopata, que ama coelhinhos e explosivos, principalmente explosivos. Não se deixe enganar pela sua fofura!

Em Tiny Tina’s Wonderlands, inicialmente somos o novato, estamos ali, mas não temos nada de especial, porém, a coisa muda de figura, somos escolhidos para ser o Senhor do Destino! Um título bem legal, não acha? É SIM! Não discorde!

Andando por Wonderlands

Após a introdução do jogo, somos introduzidos ao mapa da mesa, é literalmente um mapa em que você controla uma miniatura cabeçuda de seu personagem. É nele que acessamos as diversas regiões do jogo, além de dungeons e outras coisinhas. É também onde conseguimos acesso a diversas missões secundárias, além de interagir com diversos NPCs, na maior pegada RPG de mesa.

Mapa da mesa - Tiny Tina's Wonderlands
Apesar de ser tentador, não mergulhe no rio de refrigerante, há muitas outras atividades para fazer

O mapa é divido em diferentes regiões, cada uma com suas particularidades, elas também estão presentes dentro da jogatina que é no estilo do próprio Borderlands, aquele FPS e RPG que você provavelmente já conhece.

O mapa também é composto por diversos caminhos que precisam ser liberados, seja dando uma pancada numa tampinha de garrafa, ou completando uma missão secundária. É possível, também, conseguir diversos bônus para seu personagem ao cumprir objetivos específicos.

Ah! O humor!

O humor é um dos pontos mais fortes de todos os Borderlands e, para mim, ficou ainda mais forte em Tiny Tina’s Wonderlands, principalmente por causa da Tina, que, com certeza, é uma das minhas personagens preferidas de toda a franquia.

As interferências que ela faz, a forma como responde as dúvidas e questionamentos dos jogadores que estão na mesa, é sem igual, foram poucas as vezes que ela não conseguiu botar um sorriso na minha cara.

Mas ela não carrega todo o humor do game, é uma característica básica dos personagens, cada um com sua própria personalidade, mas sempre lançando uma linha repleta de humor. Queria citar cada um dos personagens aqui e algumas falas de cada um, mas deixarei que você tenha a experiência de ver por si mesmo.

Você é único

Diferente dos outros jogos da série Borderlands, aqui você não seleciona entre alguns personagens que já possuem suas próprias características e classe, dessa vez, você deve criar seu personagem, e isso inclui aparência, classe e atributos.

Escolha de classe - Tiny Tina's Wonderlands
É possível escolher entre 6 classes diferentes para seu personagem

No meu caso, eu me rendi e, com dor no coração, larguei as classes que pendem ao guerreiro, escolhi o Necronata, uma classe de necromante que utiliza de toda sua magia sombria para subjugar os inimigos, além de possuir um companheiro semilich que vive me assustando com seus gritos aleatórios.

Vale destacar o número de classes, temos acesso a 6 classes diferentes, sendo elas:

  • Brr-Ucutu;
  • Facadamante;
  • Garraforte;
  • Necronata;
  • Lança-Magias;
  • Protetor do Esporo.

Algo interessante de pontuar é que aqueles que gostam de jogar de forma mais corpo a corpo, têm muitas possibilidades, tanto pelas classes, quanto pelos atributos e, também, pelo fato de que possuímos um slot exclusivo para uma arma corpo a corpo, que possui diversas variações e possibilidades de dano elemental. Confesso que diversas vezes eu parto para a pancadaria, só para não perder o costume.

Uma classe é pouca coisa, duas já deixam a coisa interessante e três… Calma, vamos devagar

Lembra das classes que citei aqui? Então, além de sua classe inicial, a partir de um certo nível você pode escolher mais uma classe, sim, isso mesmo. Ou seja, você pode fazer combinações bem interessantes, vai falar que isso não é ser único? No meu caso, escolhi a classe Lança-Magias como secundária, mas poderia ter ido por outro caminho e ter acesso a mais de um companheiro para me ajudar nas batalhas, enfim, escolha o que achar mais interessante.

Multiclasse - Tiny Tina's Wonderlands
É possível usar 2 classes a partir de um determinado nível

Tragam mais mochilas!

A saga Borderlands sempre levou o gênero Looter Shooter a sério, mas, em Tiny Tina’s Wonderlands, o negócio é surreal! Vacilou, dropou! É arma caindo, armadura, colar, anel, arma corpo a corpo, livro de magia e o que mais for possível!

Para se ter ideia, em um determinado momento da minha jogatina eu estava com cerca de 54 espaços disponíveis na mochila, e aquilo já não era suficiente para mim. Com suficiente quero dizer terminar uma área específica sem precisar procurar uma máquina de venda para esvaziar minha mochila.

Inventário - Tiny Tina's Wonderlands
Mochila quase sempre no limite…

Eu até comentei com um amigo “esse jogo tem algo que me assusta mais que o Outlast”, ele perguntou o que era, e eu respondi “a falta de espaço no inventário”, ao ouvir quantos espaços eu tinha, ele ficou indignado, já que era uma quantidade até grande, em comparação à que ele tinha enquanto jogava Borderlands 3.

Pois é, todo meu ouro do jogo vai para o upgrade de espaços na mochila, mas calma, não estou reclamando, isso possibilita que tenhamos acesso a diversos tipos de armas, com diferentes efeitos e atributos, é só vitória, há menos que você tenha dor nas costas, aí o peso da mochila pode ser um verdadeiro incômodo.

Lindas missões secundárias

Sou meio suspeito para falar de missões secundárias, não me aguento, não consigo deixar elas pendentes ali e, felizmente, Tiny Tina’s Wonderlands faz isso valer a pena! Boa parte das missões secundárias são muito divertidas de se fazer, além disso, você terá algumas surpresas durante algumas delas, principalmente se for um jogador antigo da franquia Borderlands.

Brick em Tiny Tina's Wonderlands
Uma bela de uma fada, não acha?

Além de aumentar muito o tempo de jogo, as missões não se resumem somente a quests simples que pedem para você ir de um lado ao outro e matar um cara aleatório, vai muito além disso. Você conhecerá personagens secundários muito divertidos, alguns bem, BEM estranhos! E outros um pouco questionáveis. Além disso, você consegue obter alguns equipamentos bem legais nas missões secundárias, além de visitar áreas que você não visitaria jogando somente a quest line principal.

Agora, falando da parte ruim, o jogo possui algumas dungeons e acampamentos que são bem repetitivos, você derrota hordas de inimigos, pega sua recompensa e completa aquele local ou missão, tirando isso, me amarrei nas secundárias.

Gráficos e cenários

Os gráficos de Tiny Tina’s Wonderlands seguem a mesma pegada do Borderlands 3, que são bem bonitos, mas ainda sim é possível notar algumas diferenças. Entretanto, o que se destaca mesmo são os cenários do jogo, outro motivo para jogar as missões secundárias. A pegada medieval foi muito bem aplicada, além de cenários que você consegue visualizar muito bem em uma aventura de RPG de mesa.

Janela com imagem da Tina - Tiny Tina's Wonderlands
Janela com imagens da Tina

Outra coisa que me incomoda um pouco no game é algo que vem desde o primeiro jogo da franquia Borderlands, que é a demora do carregamento de algumas texturas, costuma ser algo bem específico e não tão comum, porém, é perceptível.

Travamentos

Jogando no Xbox One S, enfrentei problemas de desempenho do jogo em duas áreas, em ambas a bala estava comendo e tinha magia rolando solta, fora o grande número de inimigos, mesmo assim, é algo que quebra o ritmo da jogatina. O pior foi o primeiro caso, em que eu não conseguia finalizar uma masmorra, o jogo simplesmente travava completamente quando eu chegava na terceira horda, porém, ao jogar novamente no dia seguinte, não travou mais naquela área.

Dificuldade

Eu joguei na dificuldade padrão e não passei por grandes perrengues, principalmente por fazer as missões secundárias e ter conseguido algumas armas bem maneiras, porém, se você estiver buscando um desafio maior, ou menor, você pode alterar a dificuldade durante o jogo.

Expansões

Foram prometidas quatro expansões para Tiny Tina’s Wonderlands, a primeira delas, Coiled Captors, já está disponível. A já lançada expansão e as futuras ficam disponíveis no passe de temporada do jogo, que está presente na edição Caótica e Maneira, além disso, é possível comprá-la separadamente.

Conclusão

Tiny Tina’s Wonderlands se tornou um dos meus jogos preferidos da saga Borderlands, claro, ele não vai trazer toda aquela história que conecta os jogos e que traz todo um contexto para partes específicas da saga, porém, no que ele se propõe, ser divertido, engraçado e caótico, ele se sai muito bem.

É fácil passar horas seguidas soltando magias a rodo e dando bala em diversos monstros, além de dar boas risadas com os diálogos, principalmente com os da Tina. Agora, se você me dá licença, irei voltar à minha sessão de Bunkers e Bambambãs.

Adquira Tiny Tina’s Wonderlands agora mesmo através da Microsoft Store.

**O jogo foi gentilmente cedido pela equipe responsável pela divulgação para essa análise.

Análise do Arena

Tiny Tina’s Wonderlands se tornou um dos meus jogos preferidos da saga Borderlands, claro, ele não vai trazer toda aquela história que conecta os jogos e que traz todo um contexto para partes específicas da saga, porém, no que ele se propõe, ser divertido, engraçado e caótico, ele se sai muito bem.

É fácil passar horas seguidas soltando magias a rodo e dando bala em diversos monstros, além de dar boas risadas com os diálogos, principalmente com os da Tina. Agora, se você me dá licença, irei voltar à minha sessão de Bunkers e Bambambãs.

9.6
Divertidíssimo
  • Gráficos 8.5
  • Gameplay 10
  • Diálogos 10
  • Variedade de itens 10

Receba notificações de todas novidades sobre Xbox.

Se Inscrever
Notifique me
1 Comentário
Mais Votados
Mais Novos Mais Antigos
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitarLer Mais

1
0
Amamos sua participação, por favor comente!!!x
()
x