The Mooseman – [Análise do Arena]

A jornada pela cultura ancestral do povo de Perm

The Mooseman, game narrativo com elementos de puzzle, produzido pelos russos da Morteshka
chega dia 18 de julho à Microsoft Store.

O que seria um game com enfase na corrida, tornou-se uma experiência interativa de forte carga cultural onde lidamos com mistérios do oculto. O folclore foi usado apenas para fins estéticos ou ele faz parte da narrativa? Seria o suficiente para tornar o game tão único? Vem conosco que a gente responde!

  • Enredo

Yen, o criador do mundo, o separou em três planos:

  • Mundo inferior – destinado aos espíritos ancestrais
  • Mundo médio – onde nós humanos habitamos
  • Mundo superior – a casa dos deuses

Você é Mooseman (Homem Alce, em tradução literal) aquele que possui a habilidade de ver o que meros mortais não podem, e deve partir em uma jornada através dos planos da criação, encontrando artefatos, resolvendo mistérios e desafiando os deuses.

Toda a singularidade estética do game provém de mitos, lendas e artefatos de povos nativos da região de Perm, que fica a noroeste da Rússia, o que torna o game uma forma de propagar e preservar essa cultura.

Olha os deuses, cara!
  • Mecânicas 

Apesar de, essencialmente, ser um game 2D de progressão lateral e focado em narrativa, sua jornada não será nada fácil. Esqueça o pré-conceito de que o foco em contar histórias é associado a simuladores de caminhada. Deuses antigos, espíritos decaídos e puzzles, apesar de simples, requerem um pouco da sua percepção visual e sonora, irão desafiar você e movimentaram o gameplay. The Mooseman requer poucos comandos, basicamente você usa o botão “A” para alternar entre plano físico e espirital e os botões “LB” e “RB” para visualizar e ler um pouco mais sobre os itens coletáveis e algumas explicações sobre o mundo do game. Mais para frente, o personagem irá adquirir um poder que é acionado com o botão “B”, mas a jogatina continuará simples e eficiente, nada de esmagar botões aqui.

Atenção para os coletáveis do game, tente ler sua descrição para se inteirar mais com os elementos narrativos, ou você pode ter uma compreensão bem mais rasa do que está acontecendo.

A jornada não é fácil, mas é recompensadora
  • Som

Outro aspecto primoroso da experiência proporcionada pelo game é o som. Hoje em dia, onde temos a necessidade de sermos tão multi-tarefas quanto as máquinas, vivenciar uma experiência sem interferência do ambiente ao redor ou que prenda a atenção do jogador é algo bem complexo, digno de aplausos, e The Mooseman consegue isso! Os sons de passos nos diferentes cenários, a trilha tribal/ritualística, os puzzles sonoros e muitos outros pequenos elementos fazem do som um elemento não apenas complementar, mas fundamental a narrativa do game. E a cereja do bolo são as transições entre fases narradas em dialeto local de Perm, um cuidado digno dos grandes jogos, e digo grandes não em relação a orçamento, e sim de qualidade de produção.

Caso se interessem, a trilha sonora do game pode ser ouvido no site da desenvolvedora, clicando aqui.

  • Conquistas

De um modo geral, é correto dizer que o jogo possui conquistas fáceis, porém miletá-lo (fazer 100% conquistas) é uma tarefa que requer um pouco mais de dedicação, principalmente se você não for adepto a usar guias e quiser encontrar todos os colecionáveis sozinho, por exemplo. Em um único gameplay consegui aproximadamente 600 GS, o que levou por volta de três horas de jogatina.

  • Resumo

The Mooseman é feito para jogadores que apreciam se debruçar por cada aspecto do game, que apreciam a sensação de se verem imersos por um mundo fortemente baseado em um folclore tão diferente do nosso e igualmente interessante. Toda representação cultural do game não é só algo esteticamente agradável, é narrativa, é gameplay, está ligado incriticamente ao projeto. Se você é daqueles que julgam a qualidade de um jogo pela quantidade de horas de jogatina, este poderá não ser sua primeira escolha de compra, porém, se é dos que gostam de games que possuem o tamanho exato para serem inesquecíveis, seja bem vindo.

8.5
Incrível

Análise do Arena

Uma das experiências narrativas mais bacanas do ano até agora. Joguem!

  • Design 10
  • Som 10
  • Menus 5
  • Jogabilidade 9
Você pode gostar também