No Man’s Sky – [Análise do Arena]

Uma Odisseia no Grinding

No Man’s Sky, produzido pela Hello Games, chegou dia 24 de julho ao Xbox One. 

No Man’s Sky é um jogo de exploração espacial onde o jogador se encontra solto em um universo praticamente infinito de planetas e ambientes gerados proceduralmente. Chamado de “o jogo mais polêmico da geração”, No Man’s Sky era conhecido por ser uma junção de Hype mal direcionado e promessas não cumpridas. Recentemente o game chegou ao Xbox One com seu novo Update intitulado NEXT, que trazia uma série de melhorias e o tão aguardado Multiplayer. Será que o game conseguiu se redimir e entregar tudo o que prometeu no início ? Vamos descobrir!

Para a realização desta análise foram investidas 100 horas no Modo Normal do jogo e todas as imagens presentes foram capturadas em um Xbox One Padrão. Sem mais delongas, vamos lá!

  • Jogabilidade e Game Design

O começo de No Man's Sky te traz a sensação de estar jogando um Dark Souls espacial!

Logo que você inicia o game, já percebe o que está a sua espera. Um planeta vasto, com um draw distance incrível e cheio de vida, enchem seus olhos e deixa você na ânsia para explorar, caçar, virar piruetas com sua nave e voar em direção ao por do sol! Só que ai você pensa…  “Por que já estou morrendo ?!”

É, meu amigo (a)… Só tenho a dizer: Boa Sorte. 

Pois você vai precisar, e muito!

Esse é você achando que seu início em No Man’s Sky seria relaxante.

O jogo começa te dando uma montanha de tarefas e responsabilidades que devem ser feitas em tempo hábil para evitar sua provável morte. Isso acaba sendo positivo! São poucos os jogos que não te entregam na mão todas as mecânicas disponíveis e fazem você aprender na tentativa e erro. Porém, pode acabar assustando o jogador que nunca teve nenhum contato com o game antes (lembrando que o game chegou pela primeira vez à família Xbox One recentemente).

O jogo te dá a possibilidade de jogá-lo inteiro em primeira ou terceira pessoa. Essa última opção precisa de mais refino por parte dos desenvolvedores, pois elementos essenciais do HUD acabam faltando durante sua gameplay à bordo da sua nave, obrigando o jogador a alternar entre as opções constantemente, uma falha de Game Design que acaba atrapalhando e muito caso você queira jogar visualizando sua nave a todo momento. Mas mesmo com esse inegável problema, a jogabilidade se porta bem em ambas as opções de visualização. A movimentação do personagem é fluida e a jogabilidade com a nave é simples, mas ao mesmo tempo recompensadora.

A customização do Viajante (como o jogador é chamado) também é um ponto importante a ressaltar, pois ela além de ser profunda visualmente, traz a possibilidade de jogar com todas as raças disponíveis no game!

Sou caixista até na armadura!

O jogo possui um Lore bem estabelecido, com quatro raças alienígenas principais. Todas com sua própria cultura, história e costumes. Inclusive idiomas! Cada raça tem sua própria língua, onde você deve aprender para começar a formar e entender as frases que aquele alienígena está balbuciando.

Existem Guildas e facções no jogo, e todas elas podem te oferecer missões onde você tem a possibilidade de criar um personagem com status único perante o game.

Uma das principais features de No Man’s Sky agora é o Multiplayer! Ah, meus amigos… é aí que vocês terão uma prova do verdadeiro Trunfo do game! Explorar com seus amigos é uma experiência sem igual. Lutar para enriquecer e ser um Viajante bem sucedido no universo de No Man’s Sky é uma das melhores coisas a se fazer! O jogo te dá a possibilidade de jogar com três amigos.

Nos primeiros minutos você tem contato com seus maiores inimigos no jogo. Os Sentinelas. Drones e robôs protetores que tentam evitar que um explorador cheio de boas intenções macule o ambiente daquele planeta. Lembra aqueles momentos de tensão quando você jogou Dark Souls pela primeira vez? Aquela luta constante em se manter vivo, estando num ambiente hostil onde todos querem sua ruína? Bem, o começo de No Man’s Sky te traz a sensação (e a diversão) de estar jogando um Dark Souls espacial! Esse começo requer dedicação, e você é apresentado à alma de No Man’s Sky… O Grinding!

Você deve estar se perguntando, mas o que diabos é Grinding?

Griding em jogos eletrônicos é um termo que se refere a execução de tarefas repetitivas para se obter alguma vantagem usando a mesma estratégia (quase a definição de Insanidade, não é?).

Ou seja, você vai coletar MUITOS recursos e craftar MUITOS itens durante sua jornada. O grinding em No Man’s Sky tem um papel fundamental. Quando você “mestra” os comandos e mecânicas do jogo, ele te traz uma sensação de dever cumprido fantástica. O Grinding depois de um tempo deixa de ser uma simples coleta de recursos para se tornar uma espécie de preparação para suas aventuras, tornando-se intrínseco ao game. Lembre-se de se preparar e estocar suprimentos antes de sair para explorar o Cosmos!

Mas o que foi que eu te fiz, cara?!

O enredo do game consiste em uma constante busca por respostas, para saber quem (ou o quê) você é, porquê os Sentinelas são tão agressivos e quem é Atlas. Essa pergunta ditará boa parte da jornada, que leva ao Centro da Galáxia. Com alguns Plot Twists bem elaborados, o game traz personagens tão profundos quanto um pires (com pouquíssimas exceções). É bacana ver a relação entre Nada e Polo, ou querer finalmente se encontrar com Artemis, ou até se assustar com a onipotência do Atlas. Mas esses momentos são ofuscados com NPCs que não reagem às ações, que possuem um olhar distante e transmitem a sensação de estarem mortos por dentro. O enredo é bacana, e te deixa intrigado com cada mistério e perguntas que irão surgindo. Mas poderia ser melhor se os NPCs tivessem um papel mais profundo na história. Eu me senti jogando um RPG de texto, pois todo o diálogo é ditado por conversas sem dublagem. Meio “quebra-clímax”, mas você consegue entender e apreciar a história que se torna interessante com o tempo (ela dura o equivalente a 30 horas).

Mata com fogo antes que ponha ovos!

A jogabilidade e jornada do game alternam entre grinding, exploração, administração de recursos, construção de bases, combate e comércio. Todos são bem estruturados e te recompensam de forma satisfatória. Embora a jogabilidade possa se tornar um pouco repetitiva conforme você vai avançando na história, ela acaba te recompensando com uma variedade gigante de biomas, minerais, fora e fauna para descobrir.

A Trilha Sonora do Game, infelizmente, se torna um mero coadjuvante. Ela possui seus momentos de grandeza e empolgação (a primeira vez visitando uma estação espacial traz uma música empolgante e ao mesmo tempo misteriosa) e é muito bonita! Isso é… Quando você conseguir ouvi-la! Na maioria das vezes a música ambiente é tão baixa que você nem percebe que a mesma está lá, teoricamente criando um ambiente. Poderia dizer que os desenvolvedores quiseram deixar a trilha sonora o mais baixo possível para fazer você se concentrar nos sons do game em si. Mas não consigo deixar de afirmar que eles perderam uma oportunidade gigante de dar mais ênfase a uma trilha sonora que merece seu papel dentro do game.

Por mais que os animais sejam diversificados, o mesmo não pode ser dito sobre seu comportamento. Eles andam em manadas, ou sozinhos, ou em duplas, ou simplesmente andam! Você não verá animais com hábitos diurnos ou noturnos, marcando território, protegendo suas crias. Sim, existem animais que caçam outros para se alimentar, mas no fundo você percebe que todos estão andando sem um destino ou objetivo.

*Lembrando que os desenvolvedores estão cientes desse problema, e que o Comportamento Complexo dos animais é uma das prioridades para a evolução do game baseada em updates*

Falando em updates, os desenvolvedores afirmaram que: Assim que os bugs mais danosos forem corrigidos, as atenções se voltarão única e exclusivamente para novos conteúdos e evolução dos presentes no jogo! Pode esperar updates semanais com eventos e novidades!

Mas e os Bugs? Amigo (a), se prepare para presenciar MUITOS bugs durante sua jogatina. Dos mais básicos como bugs gráficos, aos mais preocupantes como bugs de salvamento. Alguns deles irão dificultar seu jogo e fazer você suspirar xingamentos algumas vezes (lembre que todos podem ser corrigidos). O jogo chegou com diversos bugs no seu lançamento na plataforma da Microsoft, que estão sendo corrigidos o mais breve possível. Lembrem-se: jogo gigante, empresa pequena.

Não adianta, bugs vão aparecer.
  • Visual e Ambientação

Não há muito o que dizer, No Man’s Sky é um jogo lindo! Suas texturas são bem feitas, os efeitos de iluminação impressionam, o Draw Distance é impressionante e, bem… Nuvens! O jogo dá destaque às Nuvens Volumétricas que entregam um céu rico em detalhes e completamente dinâmico!

As nuvens volumétricas dão um show de visuais

Testei o game em dois consoles. Em um Xbox One Padrão e num Xbox One X. O desempenho no X é indescritivelmente superior. Embora o visual e fluidez do Xbox One Padrão não deixem a desejar (pelo contrário), é inegável a superioridade em detalhes que a versão do X apresenta, rodando em 4K e HDR. Você pode deixar a taxa de quadros variável em ambos os consoles, contudo, não recomendo fazê-lo num Xbox One Padrão, pois pode causar inconstâncias na taxa de quadros por segundo.

As cores são bem vivas e o sentimento de escala é impressionante! Você se sente pequeno dentro do universo de No Man’s Sky.

Maluco… Onde é que fui parar…?

As naves são bem feitas e diversas. Os NPCs, embora mortos por dentro, são bem detalhados e possuem uma boa diversificação envolvendo raças, trajes e cores.

Os alienígenas parecem uma mistura de dançarinas do É o Tchan com algo saído de O Guia do Mochileiro das Galáxias

O jogo tem uma variedade em biomas gigante, que entrega planetas diversificados e de encher os olhos! Pensando nisso, os desenvolvedores colocaram um sistema de screenshots (o famoso Modo Foto) parrudo dentro do game! Confira abaixo alguns exemplos da beleza desse game!

  • Conclusão

Eu poderia falar aqui que recomendo No Man's Sky para você caro leitor com toda certeza. Que pode comprar sem medo de que não irá se arrepender. Eu até gostaria de dizer isso, mas o buraco é mais embaixo.

No Man’s Sky não é um jogo para todo mundo. Um grinding excessivo e uma jogabilidade repetitiva (no bom sentido) podem acabar cansando uma grande parcela dos jogadores e fazendo-os abandonar o game na primeira hora debaixo de xingamentos! Sem dúvidas No Man’s Sky está infinitamente melhor quando comparado ao seu estado no lançamento. A Hello Games cumpriu a promessa de entregar um jogo de exploração espacial denso, com coop e diversidade de planetas! O jogo requer dedicação e, acima de tudo, vontade de aprender. Se você gosta do estilo SandBox de Minecraft, curte as interações e construções de bases presentes em ARK, não se importa com bugs e gosta de dedicar centenas de horas da sua vida para um jogo ? Então No Man’s Sky é o seu jogo!

Mas claro, se você não se enquadra no perfil citado acima, mas ainda assim tem curiosidade de experimentar o game de Exploração Espacial produzido pela Hello Games, saiba que ele está com um preço bem amigável (para lançamentos) dentro da Store do seu Xbox. Confira clicando aqui.

Fique ligado no Arena para mais novidades sobre No Man’s Sky!

Até a próxima, caro Viajante!

7.8
Muito Bom!

Análise do Arena

No Man’s Sky é um game que propõe um universo quase infinito e exploração espacial com amigos! Embora bugs sejam frequentes, e o jogo se torne repetitivo com o tempo, isso não tira o mérito de tornar No Man’s Sky um ótimo jogo

  • Gráficos 9
  • Jogabilidade 7.5
  • Fator Replay 8.5
  • Trilha Sonora 6
Você pode gostar também