Max 1 De Life #AcademiaXbox [Arena Entrevista]

0

Conheça Max 1 de Life, um dos 35 selecionados para fazer parte da Academia Xbox.

Max 1 de Life é pai de dois filhos, casado há dezesseis anos, jogador da era de ouro, com preferência pelos jogos Indies nessa atual geração, sem deixar de jogar os grandes lançamentos da atualidade, mas é os jogos indies que sua paixão.

7 3
Max 1 de Life e Phil Spencer – Arquivo Pessoal

Conheça um pouco mais sobre Max 1 De Life:

Arena Xbox (AX): Conta pra gente, quem é o Max, quando começou e por que começou?

Max 1 De Life (Max): Meu Primeiro contato com videogames foi com um ATARI 2600, na casa de um tio meu, quase no começo dos anos 80. Pouco tempo depois, minha mãe se juntou com algumas tias pra me comprar um ATARI de presente! Então foi bem nessa época que eu comecei a jogar e de lá pra cá eu passei praticamente por todas as gerações, obviamente por alguns consoles, até por que nunca dá para ter todos os consoles, você nunca vai ter tempo para conseguir jogar tudo, nem muito dinheiro também pra isso, mas eu passei basicamente por todas as gerações de console e joguei todos aqueles que eu consegui ter contato.

Videogame sempre foi um hobby muito prazeroso pra mim, nunca pensei em fazer disso algo que pudesse levar como uma ocupação, veio bem consequente como uma situação profissional, que é mais ou menos o que eu faço hoje com o meu canal.

AX: E qual o tipo de conteúdo que você traz para o seu canal? Sabemos que você, gosta de um desafio, as tão raras conquistas, aquelas mais difíceis…

Max: Meu foco sempre foi o conteúdo indie como fonte principal do canal, mas também trago alguns tripleA e jogos maiores ocasionalmente. Priorizo essa vertente porque é a classe no mercado atual que mais traz inovação em relação a ideias originais e também são tecnicamente livres de grandes amaras compostas por empresas maiores que acabam meio que desenvolvendo ou guiando o desenvolvimento do jogo visando muita a parte do lucro, enchendo de micro transações. Então como os indies são livres disso eles procuram trazer ideias mais originais, são costumeiramente mais inovadores no mercado, com coisas bem diferentes e são títulos de baixo custo que viabilizam também aquisição para o consumidor. São jogos baratos, a maioria muito bem feitos, principalmente aqueles side scrollers, jogos dessas vertentes que fazem parte do meu dia a dia, sou muito saudosista gosto muito disso desde os anos 80… priorizo muito esse tipo de conteúdo, os famosos metroidvanias  e action games, tudo que faz alusão aos anos 80, então o foco são os jogos indies.

O conteúdo indie possui exemplos de desenvolvimento fenomenais, mas são muito pouco explorados pelos gamers em geral e streamers também, muitas vezes pela segmentação em desenvolvimento simples e que não costumam chamar a atenção pelo lado visual com uso de engines gráficas robustas, OSTs super produzidas ou complexidade no gameplay.

Quanto ao desafio, isso ocorre em paralelo com a qualidade do jogo, no seu conjunto, o que fecha a mais importante característica de um produto: a diversão que ele propicia. Priorizo a qualidade do jogo num todo e level de desafio inteligente, bem arquitetado e coerente, acima de qualquer outro aspecto. Mesmo os achievements.

3 5
Rod Fergusson e Max – Arquivo Pessoal

AX: Como você se sentiu quando a Microsoft anunciou a academia Xbox? O que passou pela sua cabeça na hora?

Max: Na verdade eu participo do projeto desde a sua primeira fase, sendo um dos membros mais antigos, desde quando eu ainda estava começando o canal em várias plataformas que hoje são oito simultaneamente. Eu aceitei participar por vários motivos: por ser uma iniciativa da Microsoft para melhorar a divulgação do conteúdo do ecossistema dos consoles para a comunidade, por ser uma iniciativa que prioriza a aproximação da comunidade dos produtos e serviços da Microsoft voltados aos gamers brasileiros, por fazer com que seja possível uma abrangência maior da divulgação do conteúdo criado no canal para que mais pessoas possam usufruir de alguma informação ou sugestão útil nos vídeos, entre outros motivos igualmente importantes.

AX: E o que realmente é a Academia Xbox?

Max: A Academia Xbox é um projeto de iniciativa da Microsoft que visa auxiliar os pequenos produtores de conteúdo dedicados à mostrar a comunidade tudo o que a plataforma oferece para o consumidor. Ela auxilia os jogadores e streamers mais influentes na comunidade, os que tem mais abrangência e dedicação para melhorar a aproximação com a comunidade em geral e dá suporte para manter a consistência de conteúdo criado para facilitar os jogadores da plataforma com mais informações de qualidade, relevantes e que atualize a comunidade com informação e dicas úteis de tudo o que é disponibilizado pela plataforma.

AX: Sabemos que a Academia Xbox está quase completando um ano desde que foi criada, o que você já aprendeu com ela no decorrer desse ano?

Max: A minha experiência sempre foi muito boa, com o tempo muita coisa foi aprimorada por eles em relação ao suporte que prestam para os participantes do projeto e particularmente pra mim, é muito bacana. A vertente que sigo no canal é muito específica e com uma base muito restrita de apreciadores e isso faz com que a minha participação no projeto siga algumas peculiaridades pouco comuns mas principalmente com o apoio cedido por eles em relação à sugestão que, sistematicamente enviam sobre o conteúdo a ser criado, uso de mídias sociais e interatividade com os inscritos, o que muito antes de participar do projeto eu já mantinha como prioridade no canal.

6 5
BGS 2019 – Arquivo Pessoal

AX: Qual os tipos de ajuda foram fornecidos desde o começo do projeto e qual tipo de ajuda ainda é fornecida hoje?

Max: Como disse, na maior parte das vezes suporte direcionado aos aspectos que citei e variavelmente acesso antecipado aos jogos, principalmente os da própria MS e acesso aos serviços da empresa como o Xbox Game Pass Ultimate.

AX: Você tem algum tipo de contato com os outros integrantes da academia Xbox?

Max: Pouco, muito pouco, mas tenho amizade com alguns. Como o conteúdo que crio é muito voltado para a vertente indie, eu não jogo muito em cooperativo, PvP, etc… minha interatividade é mínima nesse sentido.

AX: Por favor, fique à vontade para falar o que você quiser para quem quer seguir nessa carreira de criador de conteúdo, o que fazer e por onde começar…

Max: Olha, de uma forma geral que é o básico, que é o que eu acho mais correto é você fazer o que você gosta, tem muito criador de conteúdo muita gente mesmo, que começou a ser criador de conteúdo para canal ou para vlog visando o lucro. Obviamente que todos nós queremos ganhar alguma coisa, queremos ser recompensados, pelo trabalho que estamos disponibilizando, se você já processa alguma coisa pensando dessa forma, a possibilidade disso falhar é muito grande, porque você vai estar trabalhando com algo que você gosta, mas vai estar trabalhando com alguma coisa que não vai estar te dando prazer e sim algo que visa ganhar abrangência que te de lucro, etc e tal… Normalmente quando vejo isso acontecer, mesmo aqueles que tem sucesso com isso, criam conteúdo que eu particularmente não gosto que não me chamam nem um pouco a atenção por fazer parte de algumas vertentes que eu não gosto.

Enfim, é fazer o que gosta, o que curte, se você  gosta de jogar um jogo de corrida jogue, se você gosta de um jogo de point click, se gosta de multplayer jogue, se é luta, se é campanha se não é, fazer o que gosta e divulgar sua opinião real sobre aquilo, se gostou se não gostou. Eu, por exemplo, recebo muitos jogos de desenvolvedores de publisher, mas eu sou muito sincero com o que eu realmente acho, não é por que a produtora me mandou um jogo, que eu não vou ficar falando o que eu não realmente achei do jogo, tento ser realmente muito crítico, depois mando mesmo um e-mail com feedback pra empresa seja por texto, link do vídeo e tal. Basicamente é isso – Fazer o que gosta, divulgar sua opinião real sobre aquilo que você curtiu e não curtiu e se você tiver que ser recompensado por isso, você será! Mas o mais importante é isso, se você quiser entrar nessa vertente de streamer/criador de conteúdo, não tem fórmula mágica, não tem segredo, nem nada, você tem mesmo é que se empenhar a ponto de já querer profissionalizar o negócio e viabilizar algo muito robusto na questão de profissão. Joga, fala o que você acha e divulga sua opinião, não tem muito segredo não.

4 6
BGS 2019

A equipe Arena agradece a disponibilidade do Max 1 de Life em conversar conosco.

Acompanhe o Max 1 de Life:

Você pode gostar também
Comentários