Life is Strange 2 – Episódio 01: Roads – [Análise do Arena]

A vida…ela não é fácil

Life is Strange 2 é publicado pela Square Enix e foi aguardado por muitos (inclusive por esse que vos escreve) desde 21 de Outubro de 2015, quando seu antecessor teve o último capítulo lançado. Apesar de Before the Storm (Agosto de 2017) e Captain Spirit (Junho de 2018) nos acalmarem, a ansiedade pela sequência era enorme. Será que o primeiro episódio conseguiu nos impactar?

  • Acidente familiar? Não é bem assim…

Sem entrar em muitos detalhes dos acontecimentos, os irmãos Diaz (Sean,16 e Daniel,9) moram em Seattle com o pai que tem raízes mexicanas, Esteban. A relação entre o irmão mais velho e o pai é bem aberta, guardada as devidas proporções por se tratar de um adolescente. Assuntos como álcool e tabagismo estão presentes logo no início do game.

Um ponto positivo é a localização, que está muito atual. Nos diálogos, encontramos expressões com uso de hashtags e a famosa “sextou”.

Os dois levam uma vida tranquila, até que uma confusão com um vizinho se torna uma tragédia, quando um policial “despreparado” atira em Esteban. Logo após o disparo, um fenômeno sobrenatural acontece, causando uma explosão em toda a rua, matando o policial. Confuso e com medo, Sean resolve fugir com o que tem na mochila e carrega seu irmão que está desacordado. Desse modo, começando a aventura rumo a Puerto Lobos, cidade natal do pai.

  • Nada como acampar, não é mesmo?

Com poucos recursos disponíveis e dinheiro faltando, os irmãos Diaz vivem uma legítima aventura. Situações como dormir numa floresta, fazer fogueira, encontrar postos de gasolina isolados, falar com estranhos são recorrentes.

  • Gameplay sem poderes? Por enquanto…

Diferente do primeiro game, em Life is Strange 2 ainda não podemos controlar nenhum tipo de poder. Mas o jogo é recheado de novas dinâmicas que funcionam muito bem. A interação entre os irmãos para lidar com certas situações, os desenhos que Sean pode fazer para recordar das viagens e a personalização da mochila com colecionáveis achados pelo caminho são algumas das novas mecânicas.

Mesmo com pouca idade, Sean deve se responsabilizar pelo irmão, fazendo ações que nem sempre vão agradar Daniel. Mas que ao mesmo tempo não são erradas e nem certas. São apenas decisões.

Um ponto que pode deixar a desejar é a câmera, que se você não fizer uma boa exploração de todo o cenário, canto por canto, a probabilidade de algum colecionável passar batido, é enorme.

  • Gráficos e trilha sonora impecáveis

A Dontnod Entertainment fez um trabalho belíssimo com os cenários, destacando as belezas naturais. Se você jogou Captain Spirit, Life is Strange 2 está nos mesmos moldes. As paisagens são tão bonitas, que o jogo merecia um modo fotografia.

Logo no início, a trilha sonora já me surpreendeu com a música Lisztomania, da banda Phoenix. Outros destaques ficam para as bandas indies, Whitney e Bloc Party.

  • Resumo

Life is Strange 2 toca em pontos delicados e importantes como o preconceito racial que Sean e Daniel sofrem por terem origem mexicana, fazendo uma clara crítica ao presidente americano Donald Trump. Sem dúvida, a “família tradicional” irá se sentir incomodada.

Com novas mecânicas, Roads conseguiu deixar uma ótima impressão e a espera para o segundo episódio será contada nos dedos.

87%
Awesome

Life is Strange 2 carrega o fardo de renovar um aclamado primeiro game e cumpre seu objetivo.

  • História
  • Gráficos e trilha sonora
  • Gameplay

Receba notificações de todas novidades sobre Xbox.

Você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.