Diablo II: Resurrected – [Análise do Arena]

Os portões do Inferno se abrem novamente para Diablo II

A franquia Diablo recebeu seu primeiro remaster, que inclui o segundo jogo e sua expansão. Orginalmente lançado em 29 de junho de 2000, Diablo II foi o principal jogo da franquia a colocá-la na lista de favorito dos fãs. Agora, com o lançamento de seu remaster, o jogo traz novos gráficos, algumas melhorias e principalmente a nostalgia de um dos melhores RPGs lançados até hoje. Confira nossa análise completa abaixo.

jogabilidade

O clássico está de volta e remodelado. A nova versão do game consegue manter tudo aquilo que era chamativo no gameplay e ainda adiciona novas funcionalidades da nova geração, que se encaixavam perfeitamente no jogo. Ele é um RPG no estilo hack and slash, diferente dos jogos que estão nessa categoria. O jogo vai muito além de só ficar apertando alguns botões para bater no inimigo. Embora os cenários tragam uma ilusão de ambiente 3D, ele apresenta uma jogabilidade totalmente em 2D, com mecânicas simples e algumas mais complexas. A jogabilidade te mantém preso a ir cada vez mais fundo, como em um daqueles jogos em que vamos jogar só mais um missão e depois de duas horas estamos falando a mesma coisa.

Como um jogo clássico, ele foge um pouco do nível de facilidade que estamos acostumados atualmente, principalmente em trilhar o caminho. Nele, não temos aquela facilidade simplesmente de só ir seguindo as instruções, pois aqui o jogador precisa trilhar e descobrir por si só para onde deve ir. Embora sabemos o destino final, temos que descobrir todo o caminho, o que nos faz explorar mais e aproveitar a cada área presente no game, que para um RPG isso e vital.

Diablo II tem a receita de todo bom RPG, no qual começamos escolhendo entre uma diversidade de classes, que no jogo é bem variado, e embora cada classe defina o estilo de jogo do personagem, o ponto alto nessa característica é conseguir adaptar uma classe pra vários estilos diferentes. Claro que não iremos ter um guerreiro fazendo magia, mas as diferentes adaptações de cada classe faz com que a mesma classe com diferentes estilo pareçam um novo personagem.

Cada classe apresentada conta com uma variedade de habilidades e um grande arsenal de itens, onde iremos ter uma mecânica de destruição de pontos para status e habilidades, além de uma opção mais complexa para aprimorar seus itens, para sempre enfrentar o próximo inimigo com mais facilidade. O ponto alto do é a diversão cooperativa, onde eles nos dá a opção local e online. Diablo II é um jogo que te incentiva a abusar do fator replay, estando sempre repetindo as missões em diferentes dificuldades, mas isso se torna ainda melhor em um modo cooperativo. 

História

Diablo II apresenta uma sequência direta aos eventos do primeiro jogo, onde após ter sido derrotado, Diablo possui o herói que acabou com seus planos. Quanto mais o viajante se afasta de uma destruída Tristam, Diablo tenta corrompê-lo por todos os locais que ele passa. Enquanto o herói luta para manter o grande vilão o mais fraco possível, outros demônios irão atacar regiões próximas. E é a partir dai em que o enredo do jogo irá se desenvolver.

Por se tratar de Diablo, quando falamos de história, o jogo sempre no surpreende. Com um enredo interessante, vai ter manter preso por várias horas de gameplay, fluindo de forma natural e sem forçar coisas repetitivas, cada vez mais próximo do fim, mais o game te mantém preso para ver como a história acaba. E a melhor parte é que sabemos que quando se trata de cutscenes, a Blizzard está sempre surpreendendo os jogadores. E para Diablo II, ela refez todas, deixando o que já era incrível, ainda melhor.

Visual

Quando falamos em visual, não sabemos se Diablo II se trata de um remaster ou um remake, pois o jogo foi totalmente remodelado, e quando comparamos com sua versão antiga, parece um outro jogo. Com gráficos totalmente melhorados, o jogo possui visuais incríveis e ainda vem com uma opção para habilitar o modo legacy, que muda totalmente os gráficos, quase instantaneamente. E para os fãs veteranos de Diablo, jogá-lo com os novos gráficos faz parecer uma experiência totalmente diferente. 

Considerações finais

Diablo II: Resurrected está na linha entre um remaster e um remake. A nova versão traz gráficos totalmente refeitos, mantendo sua jogabilidade clássica que colocou o jogo no top do gênero, e ainda traz inovações, que foram tão esperadas pelo fãs. Sendo uma opção certa para a diversão, o jogo conta com um novo visual e algumas melhorias gráficas, além de ser um dos melhores hack and slash já criados até o momento. Com características clássicas do RPG, ele vai agradar aos fãs tanto que jogam solo, como aqueles que procuram um bom cooperativo para jogar tanto local como online.

Adquira Diablo II: Resurrected através da Microsoft Store.

** Diablo II: Resurrected foi gentilmente cedido pela assessoria de imprensa do mesmo para essa análise.

 

Análise do Arena

Com características clássicas do RPG, ele vai agradar aos fãs tanto que jogam solo, como aqueles que procuram um bom cooperativo para jogar tanto local como online.

9
Muito bom
  • Jogabilidade 9
  • História 8.5
  • Visual 10
  • Diversão 8.5

Receba notificações de todas novidades sobre Xbox.

Se Inscrever
Notifique me
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitarLer Mais

0
Amamos sua participação, por favor comente!!!x
()
x