Call of Duty: Modern Warfare – [Análise do Arena]

Foi uma honra novamente, Capitão John Price

Desenvolvido pela Infinity Ward e publicado pela Activision, o novo Call of Duty marca a volta da amada série “Modern Warfare”, que teve seu último título lançado em 2011. O jogo não se trata de uma continuação, e sim de um recomeço da série, com personagens já conhecidos, um bom multiplayer e um novo modo cooperativo. Confira agora a nossa análise.

  • Gameplay

A série traz um estilo de jogo de tiro em primeira pessoa. Para os jogadores mais acostumados com o game, ele sempre foi puxado pro lado mais arcade, mas esse novo título traz como a principal mudança, uma jogabilidade mais tática. Com novas mecânicas, o jogo deixa de ser apenas reflexos, e agora, precisamos pensar duas vezes antes de correr e atirar.

Em questões de controle, o jogo ainda continua simples e fácil de dominar, sem mudanças nos comandos já presentes no game. Apenas com adições de novas funções, essa mudança para um jogo mais tático acaba trazendo um lado positivo, pois agora, novos jogadores conseguem se adaptar mais facilmente ao jogo, mas claro que ainda vão precisar de um bom treinamento com a mira.

  • História

Particularmente, eu não me interesso pela campanhas de COD, desde o Black Ops 2, em 2012. Mas Modern Warfare veio para colocar o modo história “de volta” como o ponto forte do jogo. O enredo voltou a ser nas guerras atuais, em especifico, na luta contra o terrorismo, quando fuzileiros vão investigar um depósito com um determinado tipo de gás, e eles tem esse carregamento roubado por terroristas. A partir daí, temos o desenrolar da história com o retorno do lendário capitão John Price.

Há um bom tempo, que as campanhas pareciam aqueles filmes clichês, que estamos acostumados a assistir. Mas com esse novo COD, a equipe procurou retratar o que se passa na vida de um soldado durante a guerra.

Com várias mudanças de cenário, isso torna a campanha mais dinâmica. Uma hora, você está no meio de um campo de guerra, e em seguida, está em uma cidade calma, caçando uma célula terrorista. Você não fica naquele cenário repetitivo, de apenas atirar em inimigos, avançar e esperar pelas cutscenes.

Particularmente, o ponto alto é na missão em que conta a história de um dos personagens principais (sem muitos spoilers), no qual ele faz uma critica direta a situação das pessoas que vivem em países que ainda estão em guerra, tornando o jogo bem emocionante e dando aquela ideia de justificar o presente com eventos do passado.

A campanha do jogo não possui muitas horas de jogo. Joguei cerca de 5 horas para conclui-la, o que é bom e ruim. O lado ruim, é que a campanha do jogo te prende. Você faz essas 5 horas de jogo sem pausa e não percebe, mas fica com aquela sensação de querer jogar mais um pouco. O lado bom, é que não temos um jogo que fica enrolando, só para você ter mais algumas horas de entretenimento, que podem chegar a deixar o jogo desgastante.

  • Modo cooperativo

Chamado pelos jogadores de “terceiro modo”, ele funciona como uma campanha para ser jogada em cooperativo, e possui uma história própria e dá a sequencia direta aos acontecimentos do modo single player. Digamos que ele fecha algumas pontas que você fica em duvida com o decorrer da campanha. Nele, você tem missões e objetivos para serem cumpridos por até 4 jogadores, com um sistema de personalização bem similar ao do multiplayer versus.

O modo ainda conta com uma modalidade de sobrevivência em ondas, também podendo ser jogado com até 4 jogadores, até então, com apenas uma fase. Apesar de ser um estilo repetitivo, só mudando a quantidade de inimigos em cada onda, ele se torna mais atrativo que a parte de missões.

  • Multiplayer

Por último mas particularmente o mais importante, o multiplayer resgata mecânicas já presentes na série e traz novidades. Como já citado, o jogo está com uma pegada mais tática. Os mapas foram desenhados de forma que não é muito favorável sair por aí correndo. Se torna melhor avançar estrategicamente, abusando da mecânica de apoiar a arma sobre barricadas.

Um dos pontos mais interessantes é o sistema de personalização, que apresenta uma grande variedade, no qual algumas classes de arma chegam a ter mais de 10 miras diferentes. A personalização também se tornou mais simples de entender, pois além do gráfico, temos as informações do que vai melhorar e do que vai piorar, utilizando aquele equipamento.

O novo sistema para desbloquear camuflagens exige um pouco mais dos jogadores. Você irá desbloquear as missões de camuflagem em determinados níveis da arma. Se você pega como exemplo a M4, a primeira missão é pegar 800 kills. Se você matar em média 20 por partida, ainda vai levar 40 partidas, apenas para concluir a primeira missão. Então o que fazer, não vai faltar no multiplayer.

O jogo conta com um novo sistema de filas. Para os modos clássicos, você pode selecionar vários de uma vez e entrar na fila. Particularmente, eu achava enjoativo ficar sempre no mesmo modo e ficava saindo das salas direto para não ficar sempre naquele estilo de jogo. Essa novidade deixa as longas horas de jogo mais interessantes e dinâmicas.

O jogo também conta com o clássico 10×10, podendo ser jogado no extremo ou com as regras normais. Temos uma variação do modo 10×10, com fases noturnas, podendo ser jogado totalmente no escuro ou utilizando a visão noturna. Mesmo sendo mais difícil, o modo é interessante e foge um pouco do que a gente já está acostumado em COD.

Pela primeira vez, temos o modo 32×32, que simula uma verdadeira guerra, e traz veículos de combate e oferece um combate frenético, com muita ação, independente do lugar do mapa que você esteja.

Ainda falando de modos inéditos temos o “Realismo”. Sem hub e sem notificador de dano, ele traz total imersão a vida real, sendo um modo de jogo bem mais difícil do que os demais. Na minha opinião, ele traz a melhor experiência para o multiplayer de Call of Duty.

  • Chame seu amigo do peito para a jogatina

Como falamos do modo que traz a melhor experiência, agora, vamos abordar o modo mais divertido do jogo: o “atirador”. Um modo de jogo 2×2, totalmente tático e estratégico, com partidas rápidas, no qual o primeiro time a eliminar todo time inimigo, vence, ou capturando o objetivo no centro mapa. Caso o tempo acabe, a vitória vai para o time com maior HP.

Você pode jogar tranquilamente sem um parceiro pré-definido, mas não vai ter a melhorar experiência. De todos os modos, esse foi o que mais me prendeu. Jogando com um amigo e comunicação, jogava 2 horas seguidas e nem percebia o tempo passar.

Apesar da grande variedade de estilos ser um ponto positivo, ele nos deixa também com um ponto negativo, pois para cada estilo, temos alguns mapas, e isso deixa uma baixa variedade para quem curte apenas um dos estilos.

  • Gráficos e áudio

Todo bom jogador, sabe que gráficos não importam, mas a gente sabe que quando o jogo é bonito, a experiência fica bem mais legal, e esse é o caso de Modern Warfare. Os gráficos do jogos estão incríveis, e cada explosão, faz você parar por um momento e ficar admirando os fogos. Os gráficos de gameplay em algumas parte do jogo, chegam a ser quase idênticos as custscenes, e sem aquela perda de desempenho ou demora para carregar texturas.

A parte de áudio também esta extremamente bem trabalhada e imersiva, tanto para a campanha como no multiplayer. Em muitos momentos, os sons ambientes podem te salvar ou até mesmo te entregar. Esse fator sempre esteve presente no jogo, porém, precisávamos equipar habilidades para utilizá-lo. Agora, ele está bem mais trabalhado e útil para todos os jogadores.

  • Considerações finais

Call of Duty: Modern Warfare leva a série de volta ao topo, introduzindo novos elementos e resgatando o que os fãs já gostam na franquia. É bem dífícil achar um ponto negativo nesse novo jogo.

Para os jogadores que pensam no game apenas pelo modo história, não vale muito o investimento, mas para os verdadeiros fãs de COD ou de FPS, o jogo sem duvidas, é a escolha certa na biblioteca.

9.3
Frenético e imersivo

Call of Duty: Modern Warfare resgata e adiciona elementos levando a franquia de volta ao topo dos jogos.

  • Gráficos 10
  • Gameplay 9
  • História 9
  • Multiplayer 9
Você pode gostar também