[BGS 2019] – Bleeding Edge: Primeiras impressões

O próximo exclusivo da Xbox vem com tudo e é extremamente divertido.

Bleeding Edge é a mais nova produção da Ninja Theory, mesma desenvolvedora de DMC e Hellblade: Senua’s Sacrifice. O novo jogo é um Brawler em terceira pessoa com aspectos de MOBA para partidas de 4 contra 4. Durante o primeiro dia da BGS 2019, joguei algumas partidas do novo exclusivo do Xbox e vou dar as minhas primeiras impressões.

Quando cheguei ao estande para jogar Bleeding Edge, me assustei com a linda parede temática com todos os personagens que estava no estande do Xbox. Então, reparei que você jogaria contra as pessoas do evento, sendo quatro de uma lado e quatro do outro, o que gerava uma rivalidade interessante. Mas sem mais delongas, vamos falar sobre o jogo em si.

A minha primeira impressão quando comecei a jogar foi um estranhamento, pois nunca tinha jogado um jogo nesse estilo em terceira pessoa, o que me fez jogar meio mal até eu me acostumar. Mas com o passar do tempo é bem fácil pegar o jeito do jogo, ainda mais se você já jogou algum Brawler que tem na indústria.

Mesmo sendo uma experiência nova por ser um TPS, o jogo acaba sendo mais do mesmo, dada a variedade de títulos do mesmo gênero no mercado. Você escolhe um personagem, entre classes, habilidades e necessidades do time, então você vai à batalha para capturar os pontos. Ele é um pouco diferente na questão de captura dos pontos, da câmera e dos personagens, pois a maioria deles não ataca a distância, o que deixa o jogo bem divertido.

Uma coisa que percebi durante a minha gameplay, é que a cooperação e comunicação entre o time é essencial. Caso você tenha vontade de jogar Bleeding Edge, tenha ciência que sem comunicação vai ficar extremamente difícil chegar até a vitória, pois os pontos de captura mudam muito rápido e nem todo mundo vai ter a agilidade de perceber, além de que em alguns momentos, vão ter múltiplos pontos para capturar, então o time vai ter que se dividir.

Sobre os personagens do jogo, eles são bem diferentes dos outros jogos do estilo, pois como eu disse, a grande maioria, são personagens de curto alcance, o que torna a ‘team fight’ bem intensa, pois a maioria dos personagens vão estar concentrados no centro da luta.

Durante a minha gameplay, só joguei com personagens do estilo tanque, pois outros jogadores já tinham escolhido os assassinos e os suportes em todos os jogos. Mesmo assim, foi bem divertido, pois os tanques possuem mecânicas bem legais, como é o exemplo da Buttercup, que consegue puxar um adversários até ela, quebrando a estratégia do time inimigo.

Mas o personagem que melhor me adaptei foi o Makutu, outro tanque do jogo. Esse personagem é realmente um tanque raiz, ele aguenta muito dano e pode defender objetivos por muito tempo. É um personagem extremamente útil, mas bem difícil de jogar. Outro personagem do qual usei nas partidas, foi o El Bastardo. Já que o Makuto é o tanque raiz, esse é o “nutella”, pois não possui muita vida e causa muito dano, mas é considerado tanque pois uma de suas habilidades rouba vida dos inimigos e suas duas habilidades supremas lhe dão suporte de vida.

Veredito Final

Bleeding Edge, é, na minha opinião, um dos jogos mais divertidos da feira, e com certeza vai fazer muito sucesso com os jogadores quando chegar ao mercado, pois é um pouco diferente dos jogos que temos no gênero atualmente.

Caso você vá na BGS 2019, recomendo que leve alguns amigos até o estande da Xbox porque vocês vão se divertir muito testando Bleeding Edge.

Você pode gostar também

Inicie a discussão na Comunidade Arena Xbox