André Bronzoni, diretor do PES – [Arena Entrevista]

Confira a seguir a conversa que a equipe do Arena Xbox teve com André Bronzoni, diretor do Pro Evolution Soccer (PES).

Propaganda

Durante a BGS 2018, a equipe do Arena Xbox teve a oportunidade de bater um papo com André Bronzoni, diretor do Pro Evolution Soccer (PES). Ele nos contou da dificuldade que é manter uma franquia anual, as mudanças no PES 19 e as novidades que estão por vir.

Confere aí que o papo está super bacana!

Arena Xbox (AX): Primeiramente parabéns pelo jogo. Sem dúvida, é o melhor PES já lançado, e a física (do jogo) está muito boa. Eu queria que você falasse da física um pouco. Está mais simulador que nunca, não é?

André Bronzoni: Obrigado. Que legal, bom saber. Está simulador mais do que nunca, mas também é um jogo onde qualquer pessoa pode se divertir jogando. Você não precisa ser expert, saber todas as estratégias ou saber driblar para se divertir. Isso é interessante deixar bem claro.

Sim, a física mudou, muito por conta de a gente deixar a G3, a geração antiga, de lado, e focar bastante na G4 para deixar a física e o grafismo muito mais real. Então isso é um dos principais motivos.

AX: Fazer gol está muito difícil… já foi mais fácil (risos).

André Bronzoni: (risos) Então, não é que o gol está mais difícil de fazer, o goleiro é muito bom!

AX: O jogador que é ruim também, pode ser (risos).

André Bronzoni: Eu não estou falando isso! (entre risos) Isso aí é você que está falando. Mas eu acho que o goleiro está muito melhor. Você tem que fazer jogadas mais criativas para fazer o gol. Não é simplesmente você criar uma jogada ali e chutar […] essa clássica (cortar para dentro e chutar) não é tão fácil mais.

AX: Uma coisa que para mim mudou muito foi o sistema de luz do jogo. A modelagem dos jogadores está muito diferente. Está uma coisa incrível.

André Bronzoni: É, “tá” bem legal isso mesmo. Não é um elogio que só você está fazendo. É a comunidade inteira que está fazendo esse mesmo elogio.

AX: Para mim foi uma grande surpresa! Apesar de ter perdido a Champions League, (O PES) conseguiu se reinventar. “Tá” muito bom!

André Bronzoni: É. A gente tem várias licenças e anunciou bastantes exclusividades, o que é muito interessante falar, e a gente está muito contente com essas exclusividades. Vocês vão ver aqui na BGS algumas dessas coisas, então a gente “tá” muito contente mesmo com o que estamos fazendo até agora.

AX: Vocês estão planejando em adicionar mais algum jogador Legends?

André Bronzoni: Sim… Ponto (risos).

Propaganda

AX: Ok (risos)… Ainda sobre os Legends, eu reparei, especialmente a comemoração do Maradona, das antigas, uma clássica (dele) de 1994*. Vocês trabalharam com relação a isso, para recriar esses momentos que remetem aos jogadores?

André Bronzoni: A ideia dos Legends é isso, recriar momentos antigos e icônicos de cada jogador. E a celebração dele (Maradona) que ele corre e grita para a câmera é uma delas.

AX: Quais são os principais desafios que o PES, uma franquia que todo ano tem que se renovar, se provar quando é lançado, tem?

André Bronzoni: É um desafio bem complicado porque, como você disse, é um jogo anual. Normalmente na indústria não tem jogo anual, além do nosso e o da concorrência, então a gente tem sempre que fazer coisas novas, porque é isso que a audiência pede.

E o desenvolvedor precisa ter um time gigantesco para desenvolver isso. Então é um desafio grande e bem complicado de você atingir.

AX: Você pode adiantar alguma coisa das próximas atualizações?

André Bronzoni: (risos) Eu posso adiantar que as próximas atualizações vão ser muito boas para o mercado da América do Sul […]. Vão ter coisas novas pra cá no final do ano. Pronto, já falei demais.

AX: (risos) Por acaso, já que você falou isso… vocês (PES) têm o Campeonato Brasileiro, que para o Brasil é, obviamente, maravilhoso. Talvez um pequeno rumor disso (atualizações para América do Sul) possa ser a Libertadores?

André Bronzoni: Cara, na verdade acho que não é rumor, eu falo bem aberto sobre isso. A gente deixou de ter a licença (da Libertadores) por n motivos, e aí agente focou um pouquinho em outras atividades. Exemplo, atividades de exclusividade.

Eu acho que são questões de oportunidades, não sei se a gente vai ter a oportunidade de ter a Libertadores de novo, mas estamos sempre em aberto. Temos um relacionamento super bom com a Conmebol, e não sabemos o dia de amanhã.

AX: Os jogadores brasileiros estão muito satisfeitos com o trabalho que vem sendo feito pelo PES, com os times (do Brasil), etc. Com relação à licença dos nomes dos jogadores, como é que vocês conversam a respeito disso? É com cada clube? Com os seus empresários?

André Bronzoni: Tudo que você mencionou faz parte de um trabalho bem árduo. Não é uma coisa fácil de se fazer. O Brasil é o único país que se diferencia dos outros. Você tem que conversar com cada jogador e clube. Todos os clubes, sem exceção, nos ajudam a conversar e tentar entrar em um consenso. Você sabe que a concorrência tem nenhum jogador.

É muito questão de objetivo. Nosso objetivo é dar o maior jogo e a melhor experiência para o torneio que a gente tem, que é o Campeonato Brasileiro, com a possiblidade de ter todos os jogadores licenciados. É um objetivo meu e um objetivo da empresa, e isso faz a nossa diferença aqui no país.

AX: Para finalizar, gostaria que você mandasse uma mensagem para o pessoal que acompanha o Arena Xbox.

André Bronzoni: Cara, eu peço que vocês joguem bastante o jogo… quem não comprou, teste o jogo. Tem o demo, só procurar na Xbox Live, está incrível… e joguem com o Coutinho “né”, que é o nosso representante. Tem os nossos embaixadores também, Dudu (Palmeiras), Nenê (São Paulo), Renato Augusto (Beijing Guoan – China).

E fiquem espertos aí que vai chegar mais conteúdo […] principalmente para o Xbox!

 

A equipe do Arena Xbox agradece a disponibilidade do PES e de André Bronzoni em conversar conosco.

* O lance mencionado na pergunta da comemoração de Maradona foi quando o argentino marcou um belo gol e saiu comemorando com uma expressão bem furiosa em direção à câmera, na vitória da Argentina contra a Grécia por 4 a 0, pela Copa do Mundo de 1994. Mais tarde, no mesmo mundial, Maradona foi pego no antidoping e banido da competição.

Receba notificações de todas novidades sobre Xbox.